terça-feira, outubro 09, 2012

Promoção "Estranhas Invenções"



Caríssimas Pessoas,

Chegou a hora de revelar o que eu estava preparando pra vocês. Ou o que nós preparamos, um grupo de escritores de Literatura Fantástica e os simpáticos Henrique e Alicia, que capitaneiam a novíssima Editora Ornitorrinco.

Para mim, tudo começou no ano passado, com um convite de Ademir Pascale para que escrevesse um conto sobre uma invenção. "Que tipo de invenção?", perguntei. "Coisa que exista ou inventada por mim, podendo ser algo tipo máquina do tempo?" Tanto fazia, assegurou Ademir, e o mesmo valia para a pergunta seguinte: o conto não precisava ser de Ficção Científica, poderia agregar alguma coisa de Fantasia.

Embora estivesse (como ainda estou) cheia de trabalho, fiquei animada com o convite, principalmente porque logo pensei em aproveitar uma ideia que já me dava voltas à cabeça: a de escrever um conto baseado nos personagens de Dickens, emulando inclusive (dentro das minhas possibilidades) seu estilo, ou pelo menos o estilo que eu estava acostumada a ler nas traduções que tenho de "Pickwick Papers", "Conto de Natal" e outras obras. Pickwick, aliás, era um personagem que não podia faltar, assim como os distintos senhores do seu Clube e seu criado Sam, enquanto o papel de cientista caberia ao otimista e desvairado Sr. Micawber de "David Copperfield". Quanto à máquina em si, acabou por ser a de leitura de sonhos - pretexto para citar, embora de leve, outros textos e outros personagens de Dickens - e seu funcionamento baseado nos princípios do magnetismo animal e do mesmerismo.

Se minha tentativa foi bem-sucedida do ponto de vista literário, só vocês podem dizer. Mas o conto foi publicado num livro bem legal, e estou em boa companhia, pois Estranhas Invenções conta com a participação de Ademir Pascale,Marcelo Bighetti, Daniel Borba, Mauricio Montenegro, Cesar Alcazar, Miguel Carqueija, Tibor Moricz, Alícia Azevedo e Jorge Luís Calife. Vale a pena conhecê-lo - e até o final do mês a Estante Mágica está possibilitando a seus leitores a chance de ganhá-lo, bastando para isso responder, nos comentários deste post:

- Qual a invenção que você considera até hoje a de maior importância e por quê?

Fácil, né? Bom, mais ou menos. A invenção citada tem de existir no mundo atual e sua justificativa tem de ser boa. Aquela que me convencer mais será a vencedora - sim, isso é subjetivo, mas se trata do poder de argumentação - e o autor da resposta levará o livro. A promoção será encerrada no dia 30 de outubro e o vencedor será anunciado, no máximo, até o dia seguinte.

Então, Pessoas, é isso. Mãos à obra. Se puderem ajudar a divulgar a promoção nas redes sociais, ficarei muito grata. Se apenas participarem, também. De qualquer jeito, voltem sempre! Fico feliz com sua presença aqui.

Até breve e um grande abraço!

...


Para quem ainda não sabe, temos, além desta, uma promoção rolando no blog oficial do Castelo das Águias. Passem lá e divulguem também. Agradeço!

Capa do livro "Estranhas Invenções" feita por Marcelo Bighetti sobre desenho de Leonardo da Vinci, a quem o livro é dedicado. Porque ele foi artista, inventor e possivelmente um cara meio estranho.

11 comentários:

Ju Lund disse...

A Invenção mais importante (que ainda acho estranha rsrs) é a internet.
Sem ela não poderíamos nos conectar ou acessar blogs... NADA!
Não haveria a possibilidade desta conexão sem fronteiras!
Quero mto o livro, participanto. @aJuLund o/

Joyce Gadiolli disse...

Eu escolheria a energia elétrica porque sem ela não poderíamos usar a internet como um grande encontro entre todos os fanáticos de livros pelo mundo.

Joyce
http://entrepaginasesonhos.blogspot.com.br/

Colombina disse...

Desde que soube que existia, sempre achei que a maior invenção humana fosse a filosofia.

Nos permite juntar A + B, argumentar, usar lógica até em histórias de fantasia, descobrir que o imaginário é real (pois existe o nº imáginário, que é raiz quadrada de -1), idealizar, raciocinar, manipular qualquer tipo de massa - sejam pessoas ou coisas, criar e estudar teorias, provar teorias, construir bombas, dividir partículas cada vez mais invizíveis...

Admito que é uma invenção velha, e pra completar não é muito palpável. Tem suas partes complicadíssimas, mas também tem suas partes simplórias, que usamos a todo o momento sem perceber.

A filosofia é mãe de todo conhecimento, une todos os tipos de saber. Por isso é tão poderosa, por isso penso que é a invenção mais importante que existe.

Colombina disse...

Puxa, confundi filosofia com ciência! É que ciência foi criada depois da filosofia, deriva dela...

Mas tá registrada minha opinião. A invenção mais importante é filosofia.

Eduardo Kasse disse...

Para mim é a escrita. Pois a possibilidade de criar e manter registros é essencial para todas as demais invenções.

E a escrita possibilitou, também, a quebra de barreiras por meio da comunicação.

Enfim, passar da oralidade aos caracteres gravados na pedra, no papiro e agora virtualmente mudou a humanidade para sempre.

Coelho, o quase semi-deus disse...

Nada mais justo que indicar o livro. Sem ele, perderíamos nossos registros na areia da praia, nas paredes das cavernas, no chão de terra. Retire os livros do mundo atual e em 20 anos voltaremos a viver como pré-históricos, afinal de contas, não teria onde ser contada a história.

Sandro Quintana - Andarilho® disse...

Para mim, não existe invenção mais estranha do que a linguagem. Veja bem, a criamos para nos comunicarmos, mas como foi possível construir uma ponte de comunicação quando ela não existia? Como passamos de grunhidos para palavras e gestos que passaram a ter o mesmo sentido e significado para todos?
Mas, talvez, o mais estranho da linguagem seja o fato de, apesar de ter sido uma das primeiras e mais fantásticas invenções do ser humano, e do seu propósito ser a comunicação, nós nos comuniquemos tão pouco, sobretudo hoje, quando tantas ferramentas foram inventadas para incrementar sua utilização.
Abração, Ana!

Ana disse...

Eu não ia dizer nada, mas leiam os comentários e vejam como estamos voltando no tempo. E como a Mãe da Montanha das Águias tem a ver com isso tudo. Ah, a Mãe é a protagonista do meu conto em Paradigmas 4, da Tarja.

Kyanja Lee disse...

Na minha opinião, é a Imprensa, que teve um papel fundamental no desenvolvimento da Renascença, Reforma e na Revolução Científica. Ela lançou as bases materiais para a moderna economia baseada no conhecimento e a disseminação da aprendizagem em massa.
O mundo se tornou outro com a propagação do conhecimento. A imprensa é a fonte mais ancestral de partilha do conhecimento.

Eric Mus disse...

Acredito que a agricultura. Sem ela, o homem não poderia se sedentarizar, e não teria criado praticamente todas as outras invenções: escrita, papel, filosofia, roda, engenhos, eletricidade, internet, etc, etc, etc.
A partir do momento em que o homem pôde criar povoados e plantar numa época do ano, para colher em outra e armazenar, ele passou a ter um tempo livre enorme que propiciou em escala geométrica as invenções. Creio que sem agricultura ainda teríamos algumas, como fogo e ferramentas de sílex, e pintaríamos nas paredes das cavernas. E nada mais.
Em 190 mil anos sem agricultura, o homem criou apenas isso. Em 10 mil com agricultura, chegamos ao estágio atual.

Menina Esquisita disse...

Bom, Ana,

Não ria! Mas... na minha douta opinião, a maior invenção de todos os tempos foi nada mais e nada menos que o fone de ouvido ergométrico e ultra vedado a barulhos externos. Aquele que parece coisa de astronauta, mas que funciona muito bem no IPOD (outra invenção abençoada!) Somente assim uma pessoa como eu conseguiu se formar e se tornar alguém na vida, mesmo morando em uma casa em que sempre se usou tudo junto: rádio, tv, dvd, cd, aula de canto, tv senado x tv câmara, e todos dentre todos falam aos berros e pelos cotovelos sem respeitar ninguém. Sem contar as crianças, os duendes, o piano, a guitarra e os vizinhos!Não fosse pelo fone de ouvido eu teria enlouquecido antes dos 18 anos...ou teria virado uma serial killer da pior espécie!

Beijos,
vania