quinta-feira, julho 23, 2020

Primeiro Semestre de 2020 : o que rolou


Pessoas Queridas,

O ano já passou da metade, um ano diferente que ficará para sempre em nossa memória. Infelizmente, não de um jeito legal. Isso, porém, não significa que paramos de nos relacionar, de produzir, de fazer boa arte e de compartilhá-la, como é vital acontecer em tempos difíceis.
Deixo aqui um pouquinho sobre meus trabalhos que vieram à luz este ano, esperando que os próximos apareçam quando as coisas já estiverem melhores.




Terror na Amazônia. Já no início do ano saiu essa bela coletânea da Pará.Grafo, que traz vinte histórias de terror, horror e fantasia dark ambientadas nas florestas, vilas e cidades amazônicas. Algumas são ambientadas no presente; outras, como a minha, no passado, já que voltei ao século XVIII para contar uma passagem perdida da Viagem Filosófica de Alexandre Rodrigues Ferreira, mas... posso garantir que algumas questões trabalhadas ali continuam atuais.




Depois da Quarentena Organizado por Rosana Rios, este livro reúne poemas, contos e crônicas sobre o que nos espera após o confinamento. No meu caso, foi quase uma autoficção, o que eu imagino que pode acontecer e o sentimento que irá me acometer diante disso. Outros trabalhos puxam mais para o fantástico e/ou são mais otimistas. Aposto que os leitores vão gostar.




Simplesmente Más. Esta coletânea organizada por Lu Evans e Ale Dossena mostra mulheres malvadas – ou, em alguns casos, simplesmente duronas, como é minha protagonista, a Vovó Nevasca. Numa localidade possivelmente situada na América do Norte, num futuro de cores distópicas, ela acolhe três órfãos, e mantê-los alimentados e em segurança é... bom, uma tarefa nada fácil.




Tempo de Dragões. Os amigos do Núcleo de Literatura e Cinema André Carneiro abriram essa seleção, e eu adorei escrever a história de Yolanda, que administra o palácio do governo de Flândria e de repente se vê às voltas com as idiossincrasias de um hóspede: o Embaixador de Skamandra. Os outros contos do livro trazem uma grande variedade de estilos: humor, romance, suspense e às vezes uma mistura de tudo isso.


Cyprien retratado por Hidaru Mei


E não pensem que me esqueci de Athelgard...! Nos primeiros meses do ano postei uma história sobre a visita de Cyprien de Pwilrie à recém-fundada Escola de Artes Mágicas. Está em várias partes no blog do Castelo das Águias e pode ser lida de graça, como vários outros contos e artigos publicados lá.




Por fim, quem quiser me conhecer melhor, conferir algumas das minhas opiniões sobre o ofício da escrita e o mercado editorial pode procurar a coluna Na Mesa do Escritor, no blog Ficções Humanas; ou ainda acessar esta entrevista que dei para o Café Pós-Moderno, ou esta live, no canal do escritor e professor Saymon César.

Espero, em todos os casos, que vocês gostem do que irão encontrar. E que depois me digam!

Abraços, e até a próxima! 


domingo, julho 12, 2020

#Espalhe Fantasia : O Urso e o Rouxinol

Pessoas Queridas,

        Nossa campanha #EspalheFantasia entrou numa nova fase, e nela cada participante irá compartilhar uma obra do gênero que o tenha encantado, de preferência leitura recente.


       Eu saltei logo pra dizer: vou falar de O Urso e o Rouxinol, de Katherine Arden. E falo por vários motivos. Primeiro, por ser uma fantasia muito bem escrita, dirigida principalmente a jovens adultos, mas sem cair na tentação de simplificar demais o texto ou enchê-lo de coloquialidades próprias de hoje. Segundo, por se passar na Rússia medieval, que é um lugar encantado e foi caracterizado com mestria. Terceiro, por remeter aos contos de fadas que eu tanto adoro, quarto por ter uma heroína muito bacana e quinto porque... DUENDES!

       Sim, duendes! Os Reinos Invisíveis ocultos em solo eslavo são riquíssimos e ainda hoje muito presentes no imaginário popular; imaginem só naquele tempo. As pessoas eram cristãs, mas, tal como na Irlanda e em outros lugares muito mágicos, sua fé era permeada pela crença e pelo convívio com o Povo Pequeno, com todas as bênçãos e maldições que eles podem trazer. O livro está repleto não apenas de domovoi, dos quais a maioria das pessoas ouviu falar (aqueles que moram embaixo do fogão), mas também de duendes que vivem em lugares como o estábulo e a casa de banho, fadas do rio e criaturas ligadas às árvores. E ainda dois irmãos misteriosos, lendários, possivelmente terríveis, com os quais a jovem Vasya, herdeira e catalisadora de antigos poderes,  tem de se envolver a fim de proteger sua família.

       Por falar em família, tanto os parentes de Vasya quanto os demais personagens são bem caracterizados, com personalidade e modos distintos. Destaque para a madrasta (fiquei com pena, sinceramente, apesar de ela não ser uma boa pessoa), para o sacerdote (humano demais, coitado) e para o irmão Sasha, que espero encontrar no próximo livro, A Menina na Torre. Ainda não comprei; pelo que li, se passa em Moscou e é mais realista. Como tenho o primeiro em papel, acho que vou esperar para comprar o segundo junto com o terceiro, quando este for lançado no Brasil.

       Enfim, O Urso e o Rouxinol me trouxe várias horas de leitura envolvente, uma trama emocionante e cheia de reviravoltas envolvendo criaturas fantásticas, e deixou um belo gancho para os próximos volumes. Ainda que não seja tão fã de duendes quanto eu, se você gosta de mitologia e folclore e de histórias medievais, acho que esse livro irá te encantar também.

     Até a próxima, e não se esqueça: seja onde e como for, #EspalheFantasia! O mundo precisa voltar a ter esperança.

terça-feira, junho 23, 2020

Duendes : vencedor do Prêmio Le Blanc

Pessoas Queridas,

No dia 20 de junho aconteceu a live que anunciou o Prêmio Le Blanc, organizado pela ECO/UFRJ e pela UVA - Universidade Veiga de Almeida.

Após os votos populares terem determinado os finalistas, um júri técnico ligado a cada área entrou em ação. Foram premiadas várias categorias de quadrinhos, tirinhas, trabalhos de animação e, ainda, o melhor romance e a melhor coletânea de Literatura Fantástica publicados em 2019. Eeeee...


Sim! Duendes levou o prêmio!

Quero agradecer muitíssimo ao Erick e ao Raphael, da Editora Draco, aos autores que colaboraram com o livro e aos apoiadores que o adquiriram no Catarse, bem como a todo mundo que leu, divulgou, resenhou e se interessou de alguma forma. A vitória é de todos esses e não apenas minha.

Para os que quiserem assistir à cerimônia, conhecer os outros vencedores e me ver pagar mico online, a live está disponível no Instagram.

Aqui, uma prévia do livro, com seu interior e alguns trechinhos dos onze contos, no site do Omelete

E como eu seu que você gostou e vai querer comprar, aqui vão os links para a obra no site da Editora Draco e na Amazon.

Espero que vocês gostem, e... Ai, como estou feliz!

terça-feira, junho 02, 2020

Sonethos dos Profetas, por Evandro von Sydow


o nome deste rio é Maranhão
em Minas coração de Minas se
te causa isso estranheza lembra
o nome desta pedra é sabão


Assim meu amigo de décadas, Evandro Von Sydow, inicia seu livro de sonetos em homenagem aos profetas de Congonhas. E que livro, senhoras e senhores! Além do trabalho delicado de poeta, que é também professor de Literatura, Evandro o faz acompanhar por suas fotos, umas em cores, outras em preto e branco – fotos que ele já gostava de tirar nos tempos em que, adolescentes, fomos juntos a Minas e caminhamos por aquelas cidades e paisagens antigas.

Evandro é autor de outros livros, marido de Camila e pai de um menino lindo chamado Dante. Mora no Rio de Janeiro e será um dos primeiros que eu vou convidar para tomar um café, quando as tempestades passarem.

Agora, meu convite é para que conheçam o trabalho dele, disponível no blog-revista virtual Escamandro

quinta-feira, maio 14, 2020

Na Mesa do Escritor : Coluna no Blog Ficções Humanas

Pessoas Queridas,

Venho contar pra vocês uma novidade muito legal: estou responsável por uma coluna do blog Ficções Humanas, aquele das resenhas e dicas literárias incríveis!


O convite foi feito pelo Paulo Vinícius, e a ideia é compartilhar um pouco da minha experiência como escritora e organizadora de coletâneas. Os assuntos serão os mais variados, indo desde a construção de mundos e personagens até questões ligadas ao mundo editorial.

Os dois primeiros artigos já foram publicados, e vocês podem conferi-los aqui:


Apresentação

Essa Tal de Pesquisa


Espero que vocês passem por lá, deixem comentários e sugestões para textos futuros. Vou adorar!

E fiquem com a famosa "mensagem que eu deixo para meus leitores"...



Até breve, aqui ou no blog Ficções!