quinta-feira, janeiro 19, 2017

A Caverna de Zakynthos: novo conto de Balthazar e Lísias

Pessoas Queridas,

O Balthazar e o Lísias, que vocês talvez já conheçam do conto Em Busca do Rei e da coletânea Piratas, aparecem agora numa nova aventura, dessa vez acompanhados por alguém muito especial: Diodoros, personagem da série "Tempos de Sangue" do Eduardo Kasse.

Eis a sinopse:

Cansado de prazeres vazios, o imortal Diodoros de Atenas está em busca de novas emoções. É quando se depara com o capitão fenício Balthazar de Tiro e seu fiel escravo Lísias. Onde esse encontro pode levar? Este conto reúne um personagem da série Tempos de Sangue, de Eduardo Kasse, e a dupla de viajantes do tempo criada por Ana Lúcia Merege, autora da série Athelgard, que agora se aventura pelas águas do Mediterrâneo - com muito humor, ação e aventura.

Que tal, curtiram? Espero que sim!

Para adquirir o conto, basta clicar aqui. E, para comemorar, aí acima estão Balthazar, Lísias e Diodoros em ilustração da querida e talentosa
Angela Takagui.

sexta-feira, janeiro 13, 2017

Ana Lúcia Merege : Uma Aventura Editorial

      As fotos podem não estar muito boas, mas esses são os cadernos que mantenho desde 2002, com o título coletivo Ana Lúcia Merege: uma aventura editorial. Neles registro tudo que aconteceu desde que decidi me mexer para fazer acontecer minha carreira literária, nem que fosse de forma discreta e modesta. caderninhos.



        
        Nesses cadernos registrei os primeiros passos da criação do blog A Estante Mágica de Ana, que existe desde 2002, os contatos com editores, a interação com escritores no antigo Orkut, as primeiras participações em coletâneas, os livros independentes, os contratos; e também as palestras, os lançamentos, os encontros, as Primaveras Literárias e Bienais. Não é uma carreira assim tão movimentada, por isso vários anos cabem num caderno. O terceiro começa agora, em 2017.



         Talvez vocês achem que não é grande coisa, mas para mim esses cadernos significam muito. É o registro de quanto trabalhei e me empenhei para fazer minha carreira acontecer. Então, quando sinto desânimo ou duvido de mim, olho pra eles e vejo o longo caminho que já percorri e quanta coisa boa pode ainda haver pela frente.

quarta-feira, janeiro 04, 2017

Medieval no Kindle para Samsung


Pessoas Queridas,

No mês de janeiro, "Medieval", a coletânea que organizei com o Eduardo Kasse, pode ser baixada gratuitamente pelos leitores de Kindle para Samsung. Se vocês estão entre eles, aproveitem!

Cliquem no Blog da Editora Draco para saber mais detalhes e aproveitem a leitura. Em breve estarei aqui com novidades!

quinta-feira, dezembro 29, 2016

Leituras Mais Legais de 2016 - 10 Livros Estrangeiros



Pessoas Queridas,

Já falei sobre os livros nacionais que mais me deram prazer este ano. Chegou a vez dos estrangeiros, e a lista final está bem variada. São quatro livros de fantasia, seis de ficção realista; quatro autoras e seis autores; pelas nacionalidades, três norte-americanos, um japonês, uma malaia de origem chinesa, uma somali, um espanhol, um italiano, um português e um timorense (lusófono - portanto, juntando esta lista com a dos nacionais, sete dos quinze livros indicados foram escritos em língua pátria).

Os livros abaixo estão elencados pela ordem em que os li. Por acaso o favorito foi o primeiro, mas não aponto preferências entre os demais. Alguns já são mais que badalados, mas  tenho certeza de que outros são desconhecidos pela maioria. Espero que curtam as indicações, tanto quanto eu curti ler cada um deles.

Vamos lá?


Golem e o Gênio - Helene Wecker

Nem preciso apresentar, não é? A fantástica história que envolve o gênio Ahmad e a golem Chava em meio a um efervescente bairro de imigrantes em Manhattan, conquistou os corações de muitos leitores. Foi o primeiro livro que li neste ano e não deixou o topo da lista de favoritos, pois, além de ter uma temática que adoro, soma todos os fatores que fazem um livro excelente: história incrivelmente bem urdida, ótimo trabalho de pesquisa, personagens bem construídos, com os quais é fácil simpatizar ou antipatizar (que vilão sórdido!) e uma narrativa que não deixa nada a dever à de Sherazade, Quem não leu ainda, faça um favor a si mesmo/a e leia. Não vai se arrepender nem um pouquinho.

A Assinatura de Todas as Coisas - Elizabeth Gilbert

A autora de "Comer, Rezar, Amar" (que eu comprei, mas não cheguei a ler) brindou seus leitores com uma excelente história: a de Alma Whittaker, estudiosa de botânica, nascida na virada dos anos 1800, disposta a ir até o fim do mundo (eu diria que literalmente) para procurar o objeto do seu interesse, que dá também sentido à sua vida. Um admirável trabalho de pesquisa cria o cenário perfeito para os movimentos de Alma e de outros personagens complexos, críveis, dignos de simpatia e às vezes de pena. Recomendadíssimo.

A Noiva Fantasma - Yangsze Cho

A partir de um costume tradicional da China - o de celebrar o casamento entre uma jovem viva e um rapaz já falecido, a fim de aplacar seu espírito - a autora malaia, de origem chinesa, conta a história de Li Lan, que mergulha no assombroso mundo existente atrás das cortinas da morte, povoado por fantasmas, antepassados e seres não-humanos. Um deles será uma espécie de protetor em sua jornada, mais tarde se revelando como... ora. Quem sabe o que tem do outro lado antes de chegar lá? Quem vai saber como continua sem ler o livro? :)

O Gigante Enterrado - Kazuo Ishiguro

Este não é um livro fácil de ler, tem uma prosa muito densa e trabalhada, mas é um ótimo livro, repleto de significado. Trata-se, antes de tudo, de uma fábula sobre a velhice, sobre a memória e sobre a capacidade de perdão, na qual se acompanha a jornada de um casal de idosos que se dirige à aldeia onde vive seu filho. Seres fantásticos e personagens dos livros de cavalaria dão o toque de sobrenaturalidade, mas eu vejo esse livro como algo profundamente psicológico - e aqui um aviso para quem procura uma narrativa mais leve: "O Gigante"passa longe da literatura de entretenimento. Deixem para um momento em que estiverem mais concentrados e querendo refletir. Aí, vão gostar bastante;

Réquiem Para o Navegador Solitário - Luis Cardoso

Não conhecia, comprei por impulso e não me arrependi nem um pouco. O livro do escritor timorense conta a história de Catarina, uma jovem que sai de sua casa e vai para a fazenda Sacromonte, de propriedade de um capitão dos portos de quem é, ou foi, uma espécie de noiva. Ela se envolve com questões pessoais e políticas enquanto aguarda a chegada de alguém que vem pelo mar - alguém que não é sempre a mesma pessoa, que sempre torna a partir, que sempre a deixa só, porém cada vez mais sólida e madura. Não se trata de uma história contada de modo linear e convencional, a prosa do autor é fantástica, conferindo ao livro um tom de luz e sombra que fascina quem o ler. Vale a pena.

Elantris - Brandon Sanderson

Eu comecei o ano convicta de que leria "Mistborn", de que ouço falar tão bem. Mas é um livro grosso, que está bem bonitinho lá na estante; eu costumo ler no Kindle do celular, e lá tinha esse livro. O cenário é uma cidade que perdeu a Magia e cujos moradores começaram a ser atacados por uma estranha doença, que os obrigava a se retirar e viver em um lugar tenebroso; os protagonistas são um casal de príncipes, prometidos um ao outro, que têm de fazer as coisas acontecerem em meio ao drama pessoal e ao caos político. Embora tenha achado que alguns problemas se resolviam facilmente demais, o livro me agradou pela construção do universo, pela capacidade do autor de nos fazer enxergar os lugares descritos e pelo tratamento que dá à Magia. Mais uma razão para eu me lançar à leitura de "Mistborn" qualquer hora dessas.

O Pomar das Almas Perdidas - Nadifa Mohamed

A autora somali conta as histórias entrelaçadas de três mulheres em meio à ditadura militar, nos anos 1980: Deqo, uma menina num campo de refugiados, Kawsar, uma viúva que se vê presa e agredida por uma soldado, e Filsan, sua agressora, que busca provar seu valor em meio aos colegas e superiores homens, mas irá se transformar ao longo de suas vivências. É um livro forte, com imagens fortes e posicionamentos claros; é uma obra sensível e bem escrita. Boa para ler nos dias de hoje.

Como Deus Manda - Niccolò Ammaniti

Outra obra comprada por impulso, numa banca de rua. A capa diz que ganhou um prêmio literário, e acho que mereceu: a prosa é muito boa e a história é bem construída, com destaque para os personagens Rino (pai) e Cristiano (filho), que se amam e se odeiam em meio a um ambiente de pobreza, violência e desencanto quanto à vida e ao futuro. Para quem gosta de histórias mais cruas.

A Bibliotecária de Auschwitz - Antonio G. Iturbe

Eu quase não sou suspeita, pois sou bibliotecária, mas acho que muitos de vocês conhecem e gostam deste livro. Baseado em fatos reais, conta a história da adolescente Dita, uma das prisioneiras no campo de concentração de Auschwitz, que detinha a importante missão de esconder e proteger os poucos e velhos livros disponíveis para os prisioneiros. Juntamente com Fredy Hirsch, um dos líderes do campo, ela era responsável por manter acesa a chama da curiosidade, do amor à leitura e às histórias - a chama da esperança. É um livro habilmente escrito e com uma bela mensagem.

Índice Médio de Felicidade - David Machado

Num texto fluido e objetivo - mas nem por isso raso - o livro conta a história de Daniel, que está desempregado, longe da mulher e dos filhos e às voltas com amigos tão próximos quanto excêntricos. Um está preso, e seu filho vem se metendo em problemas; outro nunca sai de casa, mas de lá mesmo criou uma rede social cujo objetivo, bastante vago, é de ajudar as pessoas que precisam, em qualquer lugar, a fazer qualquer coisa. A oportunidade de finalmente fazer isso representa uma virada na vida de Daniel. Não achei maravilhoso, mas vale a pena ler e conhecer o trabalho de David Machado, tido como um dos melhores autores portugueses contemporâneos.

*****

Bom, Pessoas, é isso aí. Já conheciam os livros acima? Não todos, aposto. Dos que conheciam, o que acharam? E dos que nunca tinham ouvido falar, ficaram com vontade de ler algum?

Compartilhem suas impressões. E até breve!